Conclusões da conferência do Pirate Parties International em Bruxelas

Símbolo do PPI

Entre 16 e 18 de Abril de 2010 realizou-se em Bruxelas a Conferencia do Pirate Parties International (PPI).
Infelizmente, devido à erupção do vulcão Eyjafjallajokull na Islândia e consequente nuvem de cinzas vulcânicas que mantiveram os aviões de grande parte da Europa em terra, bastantes delegações de Partidos Piratas ficaram impossibilitadas de chegar a Bruxelas e poder participar no evento. Os dois delegados do Partido Pirata Português, Nuno Cardoso e André Rosa, foram também afectados pelo fecho do espaço aéreo Belga, vendo-se impossibilitados de assegurar a sua presença física na conferencia, mas fizeram-no contudo remotamente por vídeo e IRC.

Dia 16:
O primeiro dia do encontro foi reservado para uma visita ao Parlamento Europeu incluindo um encontro com Christian Engström, o deputado europeu do Partido Pirata Sueco, e um evento social para confraternização de todos os delegados piratas. Pela nossa impossibilidade de participar nesses dois eventos deixamos aqui a experiência dos mesmos vista pela delegada Brasileira, Jhessica Reia, nos artigos “Tour pelo Parlamento Europeu”  e “Relato: Evento Social em Bruxelas“.

Dia 17:
O segundo dia foi o inicio oficial da conferência, tendo sido reservado para a discussão e votação dos estatutos que permitiriam formar o PPI oficialmente. O dia de trabalhos foi extremamente longo, cerca de 15 horas com pequenos intervalos para almoço e jantar. O processo foi extenuante e gerou bastante debate, não atingindo uma unanimidade de opiniões em todos os pontos mas conseguindo no final uma aprovação por maioria quase total.

Dia 18:
O último dia da conferencia teve como finalidade a assinatura dos estatutos e eleição do conselho do PPI, para além da realização de uma conferencia de imprensa final.a dar pelo conselho eleito sobre os resultados globais da conferência.

Os estatutos foram assinados por partidos Pirata de 20 países, 13 dos quais presentes (Alemanha, Bélgica, Bulgária, Republica Checa, Dinamarca, França, Holanda, Luxemburgo, Roménia, Rússia, Sérvia, Suíça, Reino Unido) e 7 dos quais online (Austrália, Brasil, Espanha, Finlândia, Irlanda, Itália, Portugal), sendo que a Polónia e Suécia não o fizeram por não estarem totalmente confortáveis com o resultado final dos estatutos para assinar sem os discutirem primeiro com os seus membros e lideres (a Suécia não pôde ter presente o seu líder histórico Rickard Falkvinge, outra vitima da cinza vulcânica) e a Áustria e o Cazaquistão que tiveram uma participação intermitente online e acabaram por não o conseguir fazer. Podem encontrar aqui o documento final.

As eleições que se seguiram resultaram na nomeação dos seguintes membros para o conselho do PPI:

Co-Presidente: Jerry Weyer (Luxemburgo)
Co-Presidente: Gregory Engels (Alemanha)
Tesoureiro: Nicolas Sahlqvist (Suécia)
Administrador: Joachim Mönch (Alemanha)
Vogal: Bogomil Shopov (Bulgária)
Vogal: Jakub Michálek (Republica Checa)
Vogal: Aleksandar Blagojevic (Sérvia)

Com estes dois marcos essenciais atingidos, garantiu-se não só a continuidade do movimento. que já existia e dava pelo mesmo nome PPI, através de uma nova direcção eleita e da sua oficialização por meio dos seus estatutos.
O Partido Pirata Português orgulha-se de ter participado neste evento, apesar de todas as adversidades, e se ter tornado um dos membros fundadores do PPI e signatário dos seus estatutos.


Deixe um comentário

Hinweis: Durch Bereitstellung der Kommentierungsfunktion macht sich die Piratenpartei nicht die in den Kommentaren geschriebenen Meinungen zu eigen. Bei Fragen oder Beschwerden zu Kommentaren wenden Sie sich bitte über das Kontaktformular an das Webteam.

Deine E-Mail-Adresse wird nicht veröffentlicht. Erforderliche Felder sind markiert *

18 − fifteen =

 

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Mais informações

Login

Assinaturas

No Data